Petrópolis no Século XX - Petropolis in the Twentieth Century - Local History


Leopoldina Railway: Petrópolis 1912 - II

O bonde, seu ponto derradeiro, marca de uma transformação urbana na primeira década, contrastando com as caleças. Estacionado ele recepciona os veranistas que subiram a serra pela ferrovia, substituindo o tradicional transporte já que os carros de praça e os coletivos ainda eram poucos. Os anúncios publicitários já se destacam à época na parede lateral: reforma e venda de pianos, uma apresentação teatral, assim como de várias outras novidades.

O relógio ainda se mantém firme, presente à frente do Hotel Comércio, como testemunha das chegadas e saídas de trens, bondes, carros e coletivos. O tempo que corre e atinge a cidade com suas mudanças, transformações. Os costumes e os hábitos presentes à calçada por  seus pedestres.

O prédio, magnífica obra de arquitetura destinada pela Cia. para as cidades. Singela, não soberba, mas aprazível para os viajantes e com uma personalidade digna de uma cidade como Petrópolis, mas com uma vida efêmera.



Escrito por prof. Oazinguito Ferreira às 19:56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Leopoldina Railway: Petrópolis 1912 - I

     

 

Ela ainda domina o imaginário do petropolitano, principalmente daqueles que possuem mais de 50 anos. A Estação Ferroviária da Leopoldina, inaugurada em fevereiro de 1883, impôs um fim ao ciclo de viagens das velhas diligências que seguiam pela estrada da Serra Velha em direção a Rua de Dona Tereza convergindo para a Rua do Imperador, em uma viagem extremamente cansativa.

A ferrovia de muito encontrava-se com sua chegada no Meio da Serra, e os comerciantes e produtores da região de serra acima, lamentavam que esta não avançasse, até que o sistema de cremalheira chegou ao Brasil para resolver o problema desta ferrovia que venceria a serra trazendo mercadorias e descendo com a produção das fazendas da região.

Mas em 1968 sua operação foi encerrada. Para muitos este ciclo se encerrava pelos custos altíssimos de manutenção da rede, desinteressantes para a Cia que a administrava diante de um sistema rodoviário cada vez mais importante nos deslocamentos para o interior do país, para outros pelo receio que o sistema militar possuía dos deslocamentos interioranos de tropas insatisfeitas que pudessem se dirigir à capital. 

Porém em realidade, milhares de quilômetros de ferrovias no Brasil foram desativadas e entre elas nossa Leopoldina. Para Petrópolis e sua administração local, foi o coroamento de resoluções para um ciclo de necessidades urbanas, transformando a velha estação ferroviária em rodoviária com inauguração em 19 de dezembro de 1970. 

Observe-se que o velho prédio da foto, um monumento patrimonial da arquitetura ferroviária brasileira, já havia sido derrubado desde fins dos anos 30 para responder pelas "necessidades modernistas" da cidade que se realizaram a partir da era dos cassinos, com a construção dos “espigões” em substituição aos sobrados históricos.

(Fragmentos de foto pertencente a coleção presente no CD do projeto de Revitalização Urbana de Petrópolis-PMP)

 

Pedimos desculpas pela longa ausência, mas estamos de volta.



Escrito por prof. Oazinguito Ferreira às 18:20
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  OAZINGUITO FERREIRA DA SILVEIRA FILHO, prof., pesquisador, Curriculo Lattes
  IHP - INSTITUTO HISTÓRICO DE PETRÓPOLIS - A Memória da Cidade
  ARQUIVO HISTORIOGRÁFICO GABRIEL FRÓES - Memória Petropolitana - Historiográfo
  TEXTOS PUBLICADOS SOBRE PETROPOLIS NO SECULO XX
  HISTORIA&HISTORIA - CONSIDERAÇÕES HISTÓRICAS - Oazinguito Ferreira
  NO TWITTER - PETROPOLISNOSECULOXX - PROFFERREIRA
  COLONIZAÇÃO ALEMÃ EM PETRÓPOLIS - para pesquisas escolares
  ATENDENDO AOS ESTUDANTES
Votação
  Dê uma nota para meu blog